Lake Vilas Charm Hotel


Blog

Cosméticos orgânicos, veganos e cruelty-free: entenda a diferença entre eles

4 de outubro de 2018

A busca por uma qualidade de vida mais verde vem aumentando consideravelmente. Descubra a diferença entre as nomenclaturas!
Os produtos naturais entraram em alta há um tempo no mercado de moda e beleza. Entre roupas, alimentos, cosméticos e produtos de cabelo, a busca por uma vida mais verde vem crescendo principalmente entre as mulheres. Mas você sabe qual a diferença entre as diversas nomenclaturas? Os produtos podem ser veganos, cruelty free ou orgânicos, entretanto, cada uma tem sua especialidade e a forma em que foi desenvolvida. Confira!
O crescente aumento por produtos veganos para os cabelos, para a pele e maquiagens livres de componentes químicos destaca a preocupação cada vez maior das mulheres com o uso de produtos ecologicamente corretos. Isso porque o estilo de vida sem uso de matérias-primas de origem animal deixou de ser apenas alimentício para virar também questão de estética, uma vez que os produtos orgânicos são ricos em vitaminas, minerais e óleos, podendo ser absorvidos pela pele e, com isso, agregar propriedades nutritivas e antioxidantes ao corpo. Entretanto, é preciso estar bem atenta ao optar por cosméticos desse segmento para não cair no conto do marketing verde (greenwashing) e acabar sendo enganado, visto que no Brasil ainda não há uma regulamentação clara quanto à classificação dos cosméticos. Atualmente, diversas marcas exibem rótulos que se dizem orgânicos, veganos ou cruelty-free. Contudo, embora os conceitos sejam parecidos, na realidade são bem distintos. Purepeople conversou com Dione Vasconcellos, sócia-fundadora da marca vegana Lola Cosmetics e separou um guia para ninguém mais ficar na dúvida ao optar por algum produtinho novo!

TUDO BEM, É ORGÂNICO!
Apesar de ser um rótulo comumente visto, muita gente ainda questiona sua veracidade. O que isso significa realmente? “Para um produto ser considerado orgânico, sua formulação deve possuir no mínimo 20% de matérias-primas naturais em relação à quantidade total de ingredientes utilizados em sua composição, e os itens usados são controlados desde a sua origem e possuem certificados com selos de empresas como Ecocert, sendo livres de pesticidas”, explica Dione. Apesar de o Brasil ainda não possuir uma regulamentação específica para esse segmento, os fabricantes se baseiam e assumem o compromisso com a legislação europeia, sendo proibidos de fazerem testes em animais, frutas ou flores em extinção. Além da alimentação e de produtos de beleza orgânicos, as roupas com esse tecido vêm fazendo sucesso entre as fashionistas. A marca Oslklen apresentou em seu último desfile a coleção primavera-verão 2019, que tem como um dos seus pilares principais a utilização de matérias-primas orgânicas.

LEAPING BUNNY: O PROGRAMA DO CRUELTY-FREE
A expressão que vem do inglês traduz ao pé da letra o significado do termo: sem crueldade. “Isto é, nenhum dos ingredientes utilizados para fazer o produto foi testado em animais. Entretanto, é bom lembrar que, apesar do nome remeter à falta de origem animal, ‘Cruelty-free’ não significa exatamente a falta de existência de matérias-primas provenientes do animal”, aponta a sócia-fundadora da marca. A certificação de algo ‘cruelty-free’ se dá pelo programa Leaping Bunny, que tem como finalidade adicionar ao rótulo de cada embalagem a imagem de um coelhinho para retratar a natureza dos testes dos produtos. No Brasil, marcas famosas como a Lola Cosmetics e a Natura aderiram ao cruelty-free e, além disso, a cantora Rihanna ao lançar sua linha de maquiagem optou por não realizar testes em animais. Que bom, né?!

GO, VEGAN! PARA PRIORIZAR OS ANIMAIS
Os produtos veganos são os responsáveis por não utilizar matérias-primas de origem animal. No entanto, isso não significa ser livre de substâncias químicas e nem que seja cruelty-free. É bom manter os olhos abertos e procurar por mais informações sobre a lista de ingredientes ou sobre certificados atribuídos aos produtos quando bater o olho em um rótulo que se intitule vegano.

Texto: Martina Orlandini

Fonte: Purepeople

Notícias: Lake Vilas Charm Hotel & SPA