Lake Vilas Charm Hotel


Blog

Luz Pulsada na Estética

21 de julho de 2017

rosto

Luz pulsada, Luz intensa pulsada (L.I.P) ou Intense Pulsed Light Source (I.P.L) é um equipamento estético que utiliza uma luz intensa de disparo de flashes, possuindo variadas aplicações, como fotoepilação (conhecida popularmente como fotodepilaçao, depilação prolongada e progressiva), tratamentos de foliculite, hipercromias, acne, rejuvenescimento não ablativo, rosácea, telangiectasias e estrias.

A maior parte da luz emitida é absorvida pelos cromóforos (células fotossensíveis à luz) presentes na pele, como a melanina, a oxi-hemoglobina, água e o colágeno. A absorção da energia na pele deriva da conversão da luz em calor e depende do comprimento de onda da luz emitida e do cromóforo atingido.

A fototerapia tem sido muito usada nos últimos 10 anos, e nesse tempo vários equipamentos de luz pulsada foram desenvolvidos por diversos fabricantes e tem sido bastante usada.

INDICAÇÕES DA LUZ PULSADA

Hipercromias;
Rosácea;
Telangiectasias;
Acne;
Epilação duradoura (“fotodepilação”);
Foliculíte;
Rejuvenescimento com estimulação da produção metabólica de colágeno e elastina;
Estrias.

CARACTERÍSTICAS

Policromático

Emite um espectro amplo de diferentes comprimentos de onda (cores) variando entre 400 nm e 1200 nm que pode ser selecionado através de filtros, depositados na frente da lâmpada, ou por uma alteração na fabricação da mesa. Varia de aparelho para aparelho (marcas) se apresentará ou não a troca dos filtros feito pelo profissional.

Incoerente e não colimada

A luz é emitida em todas as direções, e se espalha. Apresenta divergência angular, não existindo um ponto focado.

ABSORÇÃO

Para fazer o tratamento correto na alteração estética escolhida e garantir excelentes resultados, é necessário aprender sobre os cromóforos, comprimentos do espectro de luz, os parâmetros que devem ser programados no equipamento e a avaliação correta da pele e lesão a ser tratada.

A luz é absorvida por elementos fotorreceptivos do tecido, denominados cromóforos (cromo = cor / phoro = portador), que transformam a energia luminosa em calor por meio da absorção.

Os principais cromóforos são:

Melanina: capta luz ultravioleta (UV) de 340 nm a 1.000 nm, luz verde ‒ visível ‒ em torno de 532 nm, e infravermelho de 800 nm a 1.200 nm;
Hemoglobina: capta ultravioleta A (UVA) (300 nm), luz azul (400 nm), verde (em torno de 520 nm a 540 nm) e amarelo (em torno de 520 nm a 580 nm);
Colágeno: capta luz visível (em torno de 380 nm a 780 nm) e infravermelho (em torno 800 nm a 1.200 nm);
Água: capta infravermelho (acima de 1.200 nm).

EFEITO DA LUZ PULSADA SOBRE O TECIDO

Após a luz ser transmitida e absorvida pelos tecidos, ocorrem os seguintes efeitos:

Fototérmica: a energia luminosa é absorvida e convertida em calor, provocando coagulação ou vaporização do tecido.
Fotoquímico: Ativa reações químicas.
Fototermólise seletiva: Teoria desenvolvida pelo Dr. Rox Anderson, em Boston, nos Estados Unidos que se resulta na propriedade particular adquirida por meio da correta combinação do comprimento de onda com a duração do pulso luminoso emitido para lesionar o tecido que será tratado, com o mínimo de lesão das regiões adjacentes

A fototermólise seletiva é o efeito que faz com que o uso dos filtros, possibilitando comprimentos de ondas variáveis, seja necessário para que se atinja o tecido a ser tratado com maior eficiência, uma vez que cada comprimento atenderá a uma indicação exclusiva.

COMPRIMENTOS DE ONDA E TRATAMENTOS

390 nm a 510 nm, para tratamentos dermatológicos de acne ativa;
520 nm a 1.200 nm, para tratamentos de lesões vasculares e melanoses de peles de fototipos I e II;
590 nm a 1.200 nm, para epilação duradoura e estímulo de colágeno da derme papilar em fototipos I, II e III (com cautela);
640 nm a 1.200 nm, para epilação duradoura e estímulo de colágeno da derme reticular em fototipos III e IV;
750 nm a 1.200 nm, para epilação duradoura e estímulo de colágeno da derme reticular em fototipos V e VI.

DICAS PARA EVITAR COMPLICAÇÕES

Grande parte dos comprimentos de onda tem afinidade pelo cromóforo melanina. Existe menor eficácia para tratamentos que estão abaixo da derme papilar (epilação, lesões vasculares, lesões pigmentadas), sendo necessário aumentar a constância (sessões) a fim de se obter resultado efetivo;

Principalmente em fototipos mais altos, existe maior absorção da luz devido a maior quantidade de melanina e há grandes chance de sequelas, como queimaduras, manchas hipocrômicas (mais claras) ou manchas hipercrômicas (mais escuras).

Faça a avaliação minuciosa da pele do cliente.
Coloque os parâmetros adequados na máquina de acordo com o tratamento escolhido e o fototipo avaliado.
Não faça marcações com lápis escuros (utilize apenas lápis branco)
A pele do local a ser tratado deve estar totalmente limpa sem maquiagem, cosméticos, oleosidade, sujeiras e etc.
Utilize Gel Gelado (mesmo se o equipamento possuir resfriamento para a aplicação, para garantir a redução de riscos de queimadura e manchas)
Aplique a luz pulsada em pequenas áreas por vez
Existem aparelhos que já possuem refrigeração e que podem ser estáticas ou dinâmicas:

Nos aparelhos com refrigeração estática, o hand-piece ou peça de mão tem uma janela de safira refrigerada a água ou a gás, que ficam em contato com a pele, retirando o excesso de calor durante o pulso de luz.

O sistema de refrigeração dinâmico dispara jato de gás criogênico antes do pulso (disparo do flash) e, em determinadas marcas, após o pulso também.

Com esses sistemas de refrigeração, existe a possibilidade de utilização de cargas de energias mais altas, aumentando a eficiência do tratamento; diminui o desconforto durante a aplicação e o risco de lesões e sequelas; possibilidade de tratamento em peles com maiores fototipos.

Complicações e intercorrências

Breve ardência;
Hiperemia;
Prurido;
Queimaduras;
Crostas;
Discromias;
Hipercromias
Quelóides
Cicatrizes hipertróficas.

CONTRAINDICAÇÕES

Uso de isotretinoína (Roacutan, comumente usado no tratamento de acne), corticoides, anticoagulantes, ácido acetilsalicílico e de anti-inflamatórios não hormonais.
Uso de medicamentos fotossensibilizantes (por exemplo, furocumarina).
Pacientes bronzeados e/ou em exposição contínua aos raios UV há pelo menos quatro semanas antes do tratamento, podendo gerar hipocromias no local do disparo.
Dermatoses desencadeadas ou agravadas pela luz.
Diabetes descontrolada
Histórico de queloides
Pacientes lactantes e gestantes
Distúrbios hormonais
Lúpus eritematoso sistêmico
Sinais de infecção e inflamação de pele, doenças inflamatórias, imunodeficiência
Herpes durante processo infeccioso (pacientes com histórico de herpes devem tomar medicação apropriada indicada por um médico para efetuar o procedimento)
Sensibilidade à radiação da luz.
Neoplasias e metástases
Doenças de pele e outros tipos de doenças não citadas necessário a autorização do médico

A aplicação da luz pulsada deve ser realizada por profissionais de estética e saúde com habilidade e capacitação para tal função. Não deve ser aplicada sem conhecimentos prévios de pele, estética e treinamentos específicos sobre o aparelho.

REFERÊNCIAS DO ARTIGO

PIROLA, F. M.; GIUSTI, H. H. K. D. Luz intensa pulsada, 2010. In: BORGES, F. S. Dermato-funcional: modalidades terapêuticas nas disfunções estéticas. 2. ed. São Paulo: Phorte, 2010

Texto: Jéssica Carbonelli

Fonte: Mundo Estética

Lake Vilas Charm Hotel & SPA