Lake Vilas Charm Hotel


Blog

Saiba qual é a nova técnica que rejuvenesce seu rosto

13 de agosto de 2018

Leitura Facial

O fato de levar em conta estas emoções é o que diferencia o MD Codes Visionary dos outros tipos de rejuvenescimento. O mapa foi criado para facilitar a comunicação entre o médico e a paciente. Ela coloca em palavras aquilo que mais a incomoda ao se olhar no espelho. Assim, alinha suas expectativas às possibilidades do tratamento – já que não se pode alterar muitas expressões faciais de uma só vez.

O médico costuma explicar, na consulta, como são formados os sinais indesejáveis. Por exemplo, tendemos a franzir a região entre as sobrancelhas quando ficamos bravas, preocupadas ou até se esquecemos os óculos. Nesse caso, passamos o dia inteiro trabalhando com o cenho contraído. O movimento gera uma ruga permanente na região, o que resulta na imagem de alguém que vive aborrecido. Já a flacidez da pele do rosto (abaixo dos olhos, nas bochechas e mandíbulas) transmite a impressão de cansaço crônico mesmo após uma maravilhosa noite de sono.

Os vincos ao redor da boca, que surgem do hábito de sorrir muito, acabam dando a ideia de tristeza. Isso porque eles puxam a expressão para baixo. Olhos caídos demonstram esgotamento ou infelicidade. O aspecto de cansaço se corrige com maior sustentação na região malar – a intervenção pode proporcionar um visual mais relaxado.

Para parecer mais atraente, trabalha-se, ao mesmo tempo, o contorno do rosto, dos lábios e das bochechas. As mulheres sentem-se mais magras ou femininas com os traços mais afilados. Uma dose extra de volume, oferecido por meio de ácido hialurônico na região das mandíbulas, puxa a expressão para cima. A flacidez é atenuada com um lifting realizado bem abaixo do queixo.

O item “parecer mais jovem” pode ser atingido com aplicações em várias áreas – as principais se concentram ao redor dos olhos. O profissional precisa considerar a face como um todo antes de traçar a melhor estratégia. “Entendemos o rosto como peças de um quebra-cabeça bem encaixadas, mas que, com o passar das décadas, acabam se deslocando”, diz a dermatologista Juliana Neiva, que realiza o método em seu consultório, no Rio de Janeiro.

“A nova técnica nos permite reequilibrar a aparência com suavidade e de maneira completa.” “Se, no entanto, a paciente apresenta várias queixas ao mesmo tempo, a indicação tende para a cirurgia plástica”, opina o dermatologista Murilo Drummond, do Rio de Janeiro, que também se especializou no procedimento. Assim como ele, mais de 200 dermatologistas e cirurgiões de diferentes partes do mundo estão habilitados para executá-la.

Tira-teima
Dói? Custa caro? Parece plástica? Especialistas respondem às dúvidas mais comuns sobre o novo procedimento.

1.Como é aplicado?

O ácido hialurônico e a toxina botulínica são injetados nos pontos de ancoragem identificados pelo médico. “Não é um preenchimento direto na ruga. A intenção é recuperar volume de forma global e profunda”, diz Juliana. É rápido, realizado em consultório e apresenta resultado imediato. Diferentemente de uma cirurgia plástica, não demanda período de recuperação – mas o efeito, temporário, dura cerca de um ano.

2.O resultado é mais natural que o da cirurgia plástica?

O MD Codes Visionary aumenta as chances de se obter um resultado sutil graças à marcação de pontos-chave. “Há variações anatômicas que precisam ser levadas em conta”, ressalta Murilo. O procedimento pode evitar uma cirurgia plástica, adiar sua realização ou até mesmo ser associado a ela, dependendo da indicação individual.

3.É um procedimento dolorido?

Pode gerar algum desconforto, que é amenizado com anestesia tópica. “A substância injetada também tem anestésico, o que ajuda a suportar qualquer dor”, explica Juliana.

4.Qual a indicação?

Pessoas que buscam harmonização facial e desejam corrigir mais do que um detalhe, como flacidez, de leve a moderada, amenizar a aparência de rugas e linhas de expressão e recuperar o volume.

5.Pode ser feito em qualquer idade?

Depende do tipo de indicação. Contra o envelhecimento, em geral, o ideal é a partir dos 35 anos. “Mas existem outras funções, como em pessoas que reclamam de queixo pequeno ou falta de adequação facial. Mas é preciso se submeter a uma avaliação médica”, diz Juliana.

6.Existem contraindicações?

Evita-se em pessoas que tenham doenças autoimunes, lesões de pele ativas ou que estejam grávidas. Como qualquer procedimento, a técnica deve ser realizada por um médico capacitado e especializado.

7.Quanto custa?

O preço varia de 2 mil a 16 mil reais, dependendo do número de ampolas usadas.

Texto: Karina Hollo

Fonte: lclaudia.abril.com.br

Lake Vilas Charm Hotel & SPA